A família Ritter tem uma banca na feira livre de São Lourenco do Sul, mas não está conseguindo comercializar seus produtos devido à seca. O açude de onde saia a água está seco, e segundo eles, está tudo muito difícil. “A plantação é feita, mas com a falta de chuva, tudo morre. Não se produz nada até o final, não tem nem água para beber, e a expectativa não é nada boa. Nem enxada dá para usar de tão dura que tá a terra. Não temos de onde tirar dinheiro para recuperar”, contou uma das filhas que trabalha na lavoura.

Para discutir o futuro de pessoas como o da família Ritter, e os prejuízos da estiagem no RS, o deputado estadual Zé Nunes (PT), realizou reunião virtual nesta sexta-feira (3), que contou com a presença do secretário estadual de Agricultura, Luis Covatti Filho. Ele está ciente dos prejuízos trazidos pela seca, e destacou a necessidade de realocar recursos para as prioridades. “Em tempos de emergência, como a que estamos vivendo, precisamos focar no que é realmente urgente, e no momento falamos em água, alimentação, e incentivo à recuperação de propriedades e plantações”, disse Covatti.

O principal encaminhamento foi solicitar ao governo estadual, medida urgente de criação de um Comitê no centro do governo que trate da estiagem, semelhante ao criado para tratar das políticas para o Coronavírus. Na avaliação das diversas entidades representativas presentes e dos parlamentares, a estiagem causará prejuízos sociais e econômicos na proporção do Coronavírus, portanto o governo precisa dar atenção, pois o RS é o Estado que tem a situação mais difícil do país com a seca.

Também foi sugerido como segundo ponto, a unificação das pautas das entidades da agricultura familiar para os governos estadual e federal.

Para o Governo Estadual: Situação dos empréstimos FEAPER, FUNTERRA, Programa troca – troca de sementes, implementação do Programa Estadual de Aquisição de Alimentos com recursos que estão disponíveis, auxílio renda aos mais pobres do campo, apoio para viabilização de água às famílias rurais em parceria com os municípios.

Para o Governo Federal: Aplicação imediata ao estabelecido pela legislação do crédito rural por todas as instituições bancárias no que diz respeito a todos os financiamentos agrícolas, linha de crédito de recuperação aos agricultores familiares, sem juros e, com prazo de investimento, Bolsa Estiagem para os agricultores familiares pelo prazo de quatro meses, linha de crédito especial para as cooperativas, contemplando também as pequenas que se encontram em situação de endividamento e oferta de milho na modalidade de venda a balcão pela CONAB. As deliberações serão encaminhadas no início da semana aos governos estadual e federal.

O deputado Zé Nunes, afirma que o RS é o Estado que enfrenta os efeitos de dois sinistros ao mesmo tempo: do Coronavírus e da estiagem, que já dura cinca meses, com consequências sociais e econômicas dramáticas. “Temos que cuidar destas duas pautas da mesma forma para protegermos os gaúchos e as gaúchas do campo e da cidade. Precisamos agir articuladamente e unidos pelo RS neste momento tão difícil”, defendeu.

A reunião virtual contou com a participação de deputados federal Elvino Bohn Gass, e estaduais Edson Brum (MDB), Edegar Pretto (PT), Elton Weber (PSB), FETAG, FETRAF, MPA, UNICAFES, MPA, Fecoagro, Emater, Conab, Mapa, FAMURGS CONSEA, CODEVAT, Ocergs, Gabinete Senador Paim, grupo que discute o tema no Vale do Taquari e representações de deputados estaduais e federais.

Por Marcela Santos