O mapa do distanciamento controlado do Rio Grande do Sul voltou a ficar predominantemente laranja. Nesta segunda-feira (31), após análise de sete recursos e reavaliação de notas e trava de segurança previstos no modelo, 17 regiões gaúchas passaram a risco epidemiológico médio, incluindo Porto Alegre, e apenas quatro permanecem sob risco alto, com bandeira vermelha: Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí e Santa Rosa.

A última vez que o Estado teve apenas quatro regiões em alerta foi há 10 semanas. Entre as áreas em vermelho, duas – Santo Ângelo e Ijuí – já aderiram ao sistema de cogestão e estão adotando protocolos intermediários (menos restritivos que os da bandeira vermelha). No total, são 14 regiões, além das já citadas, que integram a cogestão: Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Santa Rosa, habilitada nesta tarde. Essas áreas do Estado que estão classificadas em laranja já poderão adotar protocolos flexíveis, desde que não menos restritivos do que os de bandeira amarela.

A nova classificação das bandeiras passa a vigorar a partir da 0h desta terça (1) até as 23h59 da próxima segunda-feira (7), 17ª semana do distanciamento controlado. No mapa preliminar, divulgado na última sexta-feira (28), 10 regiões estavam em bandeira vermelha. Depois de análise dos pedidos de reconsideração enviados por municípios e associações regionais, o gabinete de crise do Executivo acatou os recursos apresentados pelas regiões de Taquara e Passo Fundo, que ficam na bandeira laranja.

No cenário atual são 79 municípios sob bandeira vermelha, 8,1% da população gaúcha (918.268 habitantes). Desse total, 45 municípios não tiveram registro de hospitalização e óbito por Covid-19 nos 14 dias anteriores ao levantamento, 2,1% da população gaúcha (241.273 habitantes), podendo adotar a regra “0-0”, que permite seguir protocolos previstos na bandeira laranja, por meio de regulamento próprio.

O governo também anunciou ajustes em protocolos para o funcionamento de drive-ins, serviços de educação física e de clubes sociais. Definiu ainda as regras para funcionamento das convenções partidárias, com vistas às eleições municipais, que começam a ocorrer a partir de setembro.

Fonte: Jornal do Comércio