As entidades representativas dos produtores de tabaco, formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e pelas Federações da Agricultura (Farsul, Faesc e Faep) e dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep) do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, e lideranças das empresas fumageiras, reuniram-se na última quinta-feira, 17 de dezembro, para dar início à negociação do preço do tabaco da safra 2020/2021. Os encontros que ocorreram por videoconferência, iniciaram às 8h30min, estendendo-se até o fim da tarde. Foram oito empresas: BAT Brasil (Souza Cruz), Philip Morris, JTI, Universal Leaf, Alliance One, China Brasil, CTA e UTC.

A pauta das reuniões abordou, principalmente, o comparativo da variação do custo de produção apurado pelas empresas e pelos representantes dos produtores. “Não entramos na negociação do preço, propriamente, pois precisamos, primeiro, regular a variação do custo de produção”. A retomada das reuniões será marcada para janeiro. Os produtores que já comercializam a sua safra de tabaco receberão a diferença do valor, assim que fixada a tabela de preço de cada empresa integradora.

No próximo dia 22, a FETAG-RS reunirá a Comissão Estadual do Fumo, por videoconferência, para fazer uma análise dos números apresentados e definir uma proposta de reajuste que deverá ser apresentado na próxima reunião de negociação, prevista para o mês de janeiro de 2020.

Não foram repassados mais detalhes desta primeira reunião envolvendo entidades representativas dos agricultores e empresas fumageiras.

Edição Portal ClicR /  Informações da Afubra e Fetag/RS