Com um público limitado em função dos protocolos de segurança contra a pandemia do coronavírus, foi promovida na Câmara Municipal de Vereadores, na manhã desta sexta-feira, 1° de janeiro de 2021, a sessão solene que deu posse ao prefeito Gilmar João Alba, o Gringo, ao vice-prefeito Delmar Liska, ambos do PSL, e aos vereadores que foram eleitos ou reeleitos no último pleito municipal em Cerro Grande do Sul.

Em seu discurso de posse Gringo comentou sobre a disputa eleitoral mencionando multas que lhe foram aplicadas em virtude de denúncias de seus adversários por possíveis irregularidades de campanha e emendou dizendo que aprendeu com isso. Acrescentou que como prefeito também vai aplicar a lei para corrigir possíveis irregularidades no município, independente de partidos políticos.

Gringo falou também de articulações políticas em busca de recursos ao município nos últimos dias, afirmando que já estão encaminhados R$ 2 milhões em emendas para investimentos que deverão estar disponíveis para uso já em 2021.

O novo prefeito disse que entende a grande responsabilidade que o cargo lhe atribui, mas em diversas ocasiões afirmou que acredita ser uma tarefa fácil e que vai promover as melhorias que o município precisa, destacando suas estreitas relações com os deputados e o acesso fácil aos gabinetes em Brasília.

Entre as diversas vezes que agradeceu aos apoiadores e às pessoas que o elegeram, o prefeito destacou que vai dar atenção especial às famílias de baixa renda do município, aos quais atribuiu grande parte dos votos recebidos e considerou serem as pessoas que mais precisam do poder púbico por estarem abandonadas.

O anúncio oficial do primeiro escalão de governo não foi feito durante o ato de posse. Questionado a respeito o prefeito adiantou poucas informações dizendo que ele próprio deverá comandar o setor de obras e que o vice-prefeito, Delmar Liska comandará a secretaria de Agricultura, numa espécie de fusão entre as duas pastas como medida de economia. Comentou ainda sobre as negociações internas do seu partido afirmando que um dos vereadores eleitos deverá assumir um cargo na administração para que o suplente assuma uma cadeira no Legislativo, mas não mencionou nomes ou setores que estão sendo negociados.

O novo chefe de gabinete Leandro Guedes Dorneles, também não trouxe novidades em ralação aos nomes, mas informou que até segunda-feira (04) esta questão estará sanada e que todos deverão ser anunciados.

A Câmara de Vereadores

A pandemia também interferiu na posse do Legislativo, já que a vereadora eleita Claudia Coutinho (MDB) está em isolamento social devido à Covid-19, por isso não pode comparecer para a posse e com isso também não houve a escolha da mesa diretora que vai comandar a Casa de Leis neste primeiro ano.

A sessão solene foi presidida pelo vereador Breno Garcia (Progressistas), escolhido em acordo pelos demais eleitos, conforme regimento interno da Câmara de Vereadores e teve o cerimonial conduzido pelo ex-vereador Aroldo Lopes. Foram empossados ainda os vereadores Dionatan Lietz (Dioninha) (PSL), Geraldo Medeiros (PSL) Léo Koslowski (PSL), Evaldo de Souza (PDT), Serginho Neumann (PT), Elário Schultz (MDB) e Karen Eymael (PTB).

A sessão que vai escolher quem presidirá o Legislativo ficou marcada para ocorrer na terça-feira (05), às 19h15min, quando a vereadora Claudia já estará liberada do isolamento, sendo justamente ela quem está cotada a assumir o cargo, uma vez que as negociações de bastidores indicam que deverá haver chapa, única numa união entre PSL e MDB.

ASSISTA O VÍDEO: