Fitoterapia é tema de projeto escolar na escola José Joaquim de Andrade

O estudo das plantas medicinais e seu uso no tratamento de doenças tem se intensificado nos últimos tempos.

Barão do Triunfo

Em 2002, o Ministério da Saúde elaborou uma Proposta de Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, cujo objetivo era garantir acesso e uso racional das plantas medicinais e dos fitoterápicos, contribuindo com o desenvolvimento desse setor no país. Em 2006, foi lançada uma obra intitulada “A Fitoterapia no SUS e o Programa de Pesquisas de Plantas Medicinais da Central de Medicamentos”, contendo textos explicativos sobre essa temática.

O interesse dos alunos da escola estadual José Joaquim de Andrade foi despertado quando a professora Márcia Souza foi para a aula e estava afônica. Então, os alunos começaram a mencionar chás que conheciam para tratar a rouquidão. A partir disso, os alunos do 1º ano A e B elaboraram um projeto que culminou com a apresentação onde explanaram para as outras turmas do Ensino Médio sobre o poder curativo dos chás, como manipular as ervas e para quais males elas são indicadas.

Os alunos justificaram a importância do projeto salientando que os moradores da zona rural tem difícil acesso às farmácias, localizadas no centro da cidade. Além disso, os medicamentos são caros e muitos não possuem recursos financeiros para adquiri-los. Assim, enfermidades mais corriqueiras como dor de cabeça, resfriado, cólicas, alergias, dentre outras, poderiam ser tratadas com chás específicos. Eles também destacaram que nos casos em que os sintomas persistem, é necessário procurar recurso médico.

Durante esse projeto multidisciplinar, foi debatido sobre a influência da indústria farmacêutica no mercado financeiro e a dificuldade existente em difundir os métodos alternativos para tratamento de doenças, incluindo a fitoterapia. Outro tópico apresentado a favor do emprego de ervas terapêuticas foi o de evitar os possíveis efeitos colaterais oriundos do uso de medicamentos químicos.

A professora esclareceu que o objetivo do trabalho era, além de divulgar os chás, estudar a cultura popular nesse contexto.

No dia da apresentação foi distribuído amostras de ervas curativas com a utilidade de cada uma delas e modo de usar.

Por: Maria Tanise Antunes / Supervisora escolar

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios