Propostas foram apresentadas pelo governo municipal à secretária de Saúde Arita Bergmann nesta quinta-feira

 

Após a descoberta de casos da variante Delta, a Prefeitura de Gramado está elaborando planos para evitar a propagação do coronavírus. Em busca de mais doses de vacina, o prefeito Nestor Tissot e uma comitiva de Gramado esteve reunida quarta-feira, dia 21, com a secretária Estadual de Saúde, Arita Bergmann. Conforme a administração municipal, a defasagem de doses é de três mil em Gramado e alcança 20 mil na região.

Outra medida de prevenção é a criação de um projeto de testagem dos turistas que chegam a Gramado e o monitoramento de casos de contaminação entre os visitantes. Além da Delta, Gramado também registrou o primeiro caso de P.1 no Estado.

De acordo com Tissot, o pleito inicial da reunião foi garantir mais vacinas para a população gramadense. Com a aplicação de primeira dose suspensa desde terça-feira, dia 20, Gramado parou a imunização em pessoas com 39 anos ou mais. A campanha deve ser retomada nesta sexta-feira, dia 23, para pessoas com 37 anos ou mais. “Nas próximas remessas, Gramado receberá uma quantidade maior e vamos poder avançar na vacinação”, acredita.

Segundo o prefeito, as equipes técnicas irão alinhar os moldes do projeto, que ainda não tem definição sobre o início da execução. “Fomos a Porto Alegre para solucionar o problema da falta de doses da vacina. Em conjunto com a equipe técnica da Secretaria Estadual da Saúde, viabilizamos um projeto inédito para o Estado: a testagem de turistas que visitarem Gramado e a Serra Gaúcha no decorrer dos próximos meses”, afirma.

O objetivo é criar barreiras para evitar a contaminação e a propagação de novas variantes. “O trabalho começa no Aeroporto Salgado Filho, mas a proposta é que os visitantes sejam testados nas estradas de acesso ao município. Os turistas que não forem testados nos acessos podem fazer o exame nos hotéis. Vamos trabalhar em conjunto com as entidades da região”, afirma.

Secretário de Saúde afirma que não será necessário implantar medidas mais rígidas para barrar o contágio Antonio Valiente / Agencia RBS

Para a secretária Arita Bergmann, a identificação de duas das variantes de preocupação do coronavírus em Gramado comprova a necessidade de cuidado redobrado. O município deve registrar fluxo intenso de turistas a partir de outubro, quando começa o Natal Luz e os eventos natalinos na região. “Certamente, neste segundo semestre, devemos receber mais visitantes de outros locais do país no Estado, e precisamos de estratégias para evitar a transmissão do vírus”, afirma Arita.

Segundo Arita, as doses enviadas a Gramado estão formuladas com dados do Ministério da Saúde, porém os índices populacionais não condizem com a realidade da cidade. “Gramado é uma cidade atípica. Possui duas populações: as residentes e as pessoas que se deslocam a passeio ou a trabalho. Talvez, isso não tenha sido considerado durante a distribuição elencada pelo governo federal”, destaca.

O secretário municipal de Saúde de Gramado, Jeferson Moschen, afirma que a prefeitura investiu em abordagens nas ruas com fiscais e carros de som. Nas barreiras montadas nas entradas do município, equipes conferem a temperatura dos visitantes e verificam o uso de máscaras. Segundo Moschen, são 25 fiscais em atuação. Esse número não chegava a 10 há cerca de 40 dias, mas houve aumento gradativo. Sobre a adoção de medidas mais restritivas para conter a nova variante — como reduzir a capacidade de público em hotéis e restaurantes, por exemplo —, o secretário entende não ser necessário:

— Não alterou em nada, até este momento, o volume de casos. Estamos reforçando o pedido para que população se cuide ainda mais. Convocamos todos os fiscais de todas as secretarias que integram o Plano Municipal de Fiscalização, monitores e fiscais sanitários. O Exército auxilia e há carros de som rodando na cidade, principalmente aos finais de semana — afirma.

O entendimento da secretaria de Saúde é de que como a cidade aposta em testes, identificou a variante Delta. Foram realizadas cerca de 42 mil testagens em pouco mais de um ano, conforme a pasta.