Camisa 21 da Itália é escolhido pela Uefa como o destaque da competição

A seleção da Itália conquistou o seu segundo título da Eurocopa. O primeiro foi em 1968, com a geração de Dino Zoff, Giacinto Facchetti, Gigi Riva e companhia. Mais de 50 anos de espera entre uma comemoração e outra, com dois vice-campeonatos em 2000 e 2012 no meio do caminho.
Para chegar ao topo do continente nesta edição de 2020, a Itália venceu Turquia, Suíça e País de Gales na fase de grupos, depois passou pela Áustria nas oitavas de final (na prorrogação), derrotou a Bélgica nas quartas, superou a Espanha na semifinal, e por último prevaleceu sobre a Inglaterra na decisão por pênaltis na final.
Durante o tempo normal da partida, que acabou em 1 a 1, os gols foram marcados pelo ala Luke Shaw (Inglaterra), no 1° tempo, e pelo zagueiro Bonucci (Itália), na metade da etapa final. Após prorrogação empatada, a disputa acabou nas penalidades máximas com vitória italiana – três ingleses desperdiçaram suas cobranças e viram, dentro de casa, o troféu acabar nas mãos do adversário.

Luke Shaw recebeu cruzamento de Trippier e, de primeira, fuzilou ao gol de Donnarumma Imagem: Andy Rain – Pool/Getty Images

Virada nos pênaltis 
Berardi, que iniciou o jogo na reserva, foi o primeiro a bater. O atacante deslocou Pickford e abriu a contagem. Capitão inglês, Kane também balançou as redes: 1 a 1.
Belotti foi o 2° italiano a chutar e parou em Pickford, que fez grande defesa. Maguire, por sua vez, bateu no ângulo de Donnarumma: 2 a 1 para os ingleses.
Autor do gol de sua seleção com bola rolando, o experiente Bonucci suportou a pressão e converteu sua batida. Rashford, que entrou no final da prorrogação apenas para os pênaltis, acertou a trave: 2 a 2.
Bernardeschi bateu no meio do gol e recolocou a Itália em vantagem. Sancho, que também entrou nos instantes finais da partida, desperdiçou sua cobrança: 3 a 2.
O meio-campista Jorginho tinha em seus pés o título italiano, mas perdeu o pênalti após defesa milagrosa de Pickford.
Por fim, o inglês Saka, que poderia levar a decisão para as cobranças alternadas, parou em Donnarumma e viu, dentro de um Wembley calado, o troféu parar nas mãos da agora bicampeã Itália.

Goleiro Gianluigi Donnarumma foi eleito pela Uefa como o melhor jogador da Eurocopa-2020

Donnarumma defende pênalti que deu o título da Eurocopa à Itália Imagem: Mike Egerton/PA Images via Getty Images

O goleiro Gianluigi Donnarumma, da Itália, foi eleito pela Uefa como o melhor jogador da Eurocopa-2020. Ele recebeu o prêmio após a vitória nos pênaltis da seleção italiana sobre a Inglaterra, em que defendeu duas cobranças (Sancho e Saka).
Donnarumma foi o jogador que mais tempo esteve em campo entre todos da Euro-2020: 719 minutos ao todo. Ele disputou as sete partidas da Itália na competição. Segundo as estatísticas da Uefa, ele realizou nove defesas e sofreu quatro gols ao longo do torneio.

Jogadores ingleses não escondem decepção após vice-campeonato na Eurocopa

Jogadores da Inglaterra se desesperam com derrota na final da Eurocopa Imagem: Paul Ellis – Pool/Getty Images

O clima após a perda do título da Eurocopa entre os jogadores da Inglaterra era de frustração. Visivelmente abatidos, após a derrota na disputa de pênaltis para a Itália, Harry Kane e Harry Maguire, dois dos principais jogadores da equipe, não esconderam a tristeza em não conseguir alcançar o primeiro título de Eurocopa para o English Team. Para o atacante do Tottenham e capitão da Seleção, o título coroaria uma caminhada de evolução desde a última competição: a Inglaterra ficou em quarto lugar da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. “Nós passamos por muita coisa como equipe desde a Rússia. Nós queríamos ganhar e isso vai nos machucar por muito tempo”, afirmou.
Já o zagueiro exaltou a entrega do time e também não fez questão de esconder os próprios sentimentos. “Nós demos absolutamente tudo que podíamos. Tudo mesmo. Os jogadores estão desolados”, afirmou. “Eu sou decepcionado, frustrado e chateado”, finalizou. A segunda colocação é a melhor campanha da história da Inglaterra na Eurocopa. O último título da equipe foi em 1966, quando ganhou a Copa do Mundo em seus domínios.