Um antigo problema de logística que há anos preocupa os moradores de Arambaré se encaminha para uma solução definitiva em breve. Trata-se da ponte Ponte João Goulart, sobre o Arroio Velhaco, construída no ano de 1962, que liga os bairros Costa Doce e Caramuru e que por conta do seu desgaste vem há tempos com seu tráfego sendo limitado, prejudicando o desenvolvimento social e comercial da cidade.

Atualmente placas nas extremidades da ponte indicam que a estrutura permite apenas a passagem de veículos que não excedam 3,5 toneladas.

A contratação de um empréstimo junto a Caixa Federal, no valor de R$ 8 milhões, vai garantir a prefeitura municipal os recursos financeiros necessários para que uma nova ponte seja construída.

A liberação do crédito já foi assinada depois que a medida foi discutida e aprovada de forma unânime em audiência pública ocorrida no dia 12 de novembro, no Centro Cultural Inúbia, onde participaram pessoas da comunidade, os gestores municipais e vereadores.

A matéria também passou pela Câmara Municipal, em sessão legislativa na terça-feira, 16 de novembro, no formato de Projeto de Lei 0064/2021, que foi aprovado por unanimidade e já na quarta-feira (17) sancionada pelo prefeito Jardel Magalhães a Lei 2405/2021, autorizando o Executivo a contratar o crédito no âmbito do Programa FINISA – Financiamento à Infraestrutura e Saneamento – Modalidade Apoio Financeiro – nos termos da Resolução 4589/2001 destinados à despesa de capital classificada como investimento, especificamente para a construção e manutenção de pontes. O empréstimo tem como garantia o repasse de recursos institucionais (ICMS e FPM).

O prefeito defende que a obra é prioridade uma vez que além do problema logístico evidente, quanto mais o tempo passa maior é o risco oferecido aos usuários da ponte.

No ano de 1992 a ponte quebrou quando uma carreta fazia a travessia – Foto: Divulgação/Pref. Mun. Arambaré

“Trata-se de uma questão de preservar vidas. Não podemos permitir que venha ocorrer uma tragédia como outrora já aconteceu um acidente no local. Por isso nos empenhamos em buscar uma solução e entendemos que neste momento o empréstimo se faz necessário. Ademais demostramos na audiência pública que além de ser um investimento de extrema necessidade o município tem plenas condições de pagar este crédito, assim como outras dívidas que herdamos e estamos honrando. É uma questão de gestão financeira”, garantiu Jardel.

Atualizada às 17h30 para acréscimo de informações