O mês de setembro tem um grande significado para os gaúchos por conta dos Festejos Farroupilhas que evidenciam a cultura do Estado por meio de diversos eventos onde a história é resgatada e fortalecida nas mais diversas manifestações artísticas e culturais.

Neste contexto o CTG Província de São Pedro, em Tapes, vai sediar no próximo dia 07 de setembro a Ciranda Cultural de Prendas e Entrevero Cultural de Peões, na sua fase Estadual e Regional que neste ano deve ocorrer de forma híbrida, por conta dos protocolos de segurança impostos pela pandemia do coronavírus.

O evento terá um grande significado para os tapenses uma vez que o CTG Província de São Pedro terá seis representantes concorrendo a títulos em diferentes categorias.

Na modalidade Regional concorrem Júlia Monteiro (Prenda Juvenil), Ingrid Christmann (Prenda Adulta), Felipe Gianichini Zamuner (Guri Farroupilha) e Adriano Assis (Peão Farroupilha).

Já na fase Estadual estarão disputando os títulos as prendas Giulia Schwalm (Prenda Adulta) e Nina César (Prenda Juvenil), sendo que ambas detêm os títulos regionais da 16ª Região Tradicionalista (16RT).

As avaliações deste ano para prendas e peões será a aplicação de prova escrita com 50 questões sobre Tradição, Tradicionalismo e Folclore, História do RS e Geografia do RS, mais redação.

O evento é uma realização do Movimento Tradicionalista Gaúcho – MTG e da 16RT. A promoção em Tapes será feita pelo CTG Província de São Pedro com apoio da Prefeitura Municipal de Tapes, através da secretaria municipal de Turismo, Desporte e Lazer.

Celmar Schwalm, titular da pasta municipal do Turismo, falou dos preparativos para o evento e lamenta que a pandemia tenha interferido na promoção desta edição.

“Estou envolvido triplamente com o evento: como pai de prenda (Giulia), como integrante da patronagem do CTG e como secretário de Turismo, portanto sabemos o quanto isso representa para cada pessoa envolvida. Infelizmente neste ano as atividades terão que ser restritas prejudicando um pouco do que é a essência da Ciranda e do Entrevero com sua integração social, mas não diminui a grandeza que este concurso significa para seus participantes e para o nosso tradicionalismo”, avaliou o secretário.

O evento terá transmissão ao vivo pelo Facebook, a partir das 16h30min, na página facebok.com/ctgprovinciaii, onde deverão ser divulgados os resultado final da fase Regional que fica ao encargo da coordenação local. Já a fase estadual tem previsão de resultado no sábado (11/09) e a entrega dos títulos em cerimônia no domingo (12/09), em Porto Alegre.

O tradicionalista Márcio Lima, colaborador do CTG Província de São Pedro, explica que as Cirandas e o Entreveros estarão concorrendo em todo o Estado, nas 30 RTs, sendo que em cada região concorrem participantes dos CTGs que as integram. Também colabora com o CTG a tradicionalista Marisa Pires.

Márcio Lima entrevistou as prendas Júlia Monteiro e Ingrid Cristman na Rádio Mocó – Foto: Reprodução

“Foi mais de um ano de preparo, estudos e preparação para este grande momento. Desejamos uma boa sorte a todos os concorrentes e estaremos torcendo para nossos representantes que tanto nos orgulham com a dedicação aos cargos que ostentam”, afirmou o tradicionalista.

Participações

Giulia Schwalm, 19 anos, falou ao Portal ClicR de sua preparação e expectativa para o concurso. Ela entende que neste momento de pandemia é muito importante o fortalecimento das entidades e da cultura do Estado, uma vez que há dois anos o tradicionalismo vem sendo promovido de forma remota. A prenda tapense considera ainda que a renovação dos ciclos é essencial para cada vez mais jovens aderirem ao Movimento Tradicionalista Gaúcho.

Giulia Schwalm – 1ª Prenda Adulta da 16RT – Foto: Arquivo pessoal

“Para mim é uma honra ter representado a 16RT como 1ª Prenda, pela única vez na história, com uma gestão de dois anos. Agora o foco é na preparação para concorre na fase Estadual revendo todos os conteúdos estudados até aqui e me adaptando ao novo modelo de avaliação colocado. Também estou envolvida com a preparação da 51ª Ciranda e 33º Entrevero aqui em Tapes e tenho certeza que será um momento muito especial para todos, de reencontros e de fortalecermos a nossa região fazendo cultura”, projetou Giulia.

A prenda Nina Cesar Oliveira, 14 anos, que reside em Sentinela do Sul, é mais uma jovem tradicionalista que está completamente envolvida no cenário cultural gaúcho. No seu dia a dia a prendinha demonstra um amor incondicional ao cultivo da tradição, que fica ainda mais evidente quando abre sua gaita botoneira em belíssimas apresentações.

A pedido do Portal ClicR, Nina fez um relato de sua trajetória pelos concursos de prendas e projetou o que espera da 51ª Ciranda, em Tapes. Confira:

Participar da 50ª Ciranda Cultural de Prendas em sua fase Estadual é a realização de um sonho, que teve início em 2018, quando decidi participar da Ciranda interna de meu CTG – Província de São Pedro, conquistando o título de 1ª Prenda Juvenil. Desde então me dediquei aos estudos sobre folclore, tradição e tradicionalismo, história e geografia do RS, além da realização de pesquisas para a Mostra Folclórica e ensaios para a prova artística que inclui danças tradicionais e de salão, cantar, declamar ou tocar (no meu caso, tocar gaita) e prova oral sobre um tema sorteado, bem como participar de eventos regionais e estaduais.

Nina Cesar Oliveira – 2ª Prenda Juvenil da 16RT – Foto: Arquivo pessoal

No ano seguinte, representei minha entidade na 50ª Ciranda Cultural de Prendas em sua fase Regional, na cidade de São Lourenço do Sul, conquistando o título de 2ª Prenda Juvenil da 16RT. Continuei participando ativamente dos encontros regionais e eventos estaduais a fim de aprimorar meus conhecimentos. Após alguns meses recebi o convite para representar minha Região na fase Estadual, devido a desistência da 1ª Prenda Juvenil da 16RT por motivos particulares. Aceitei o desafio e abracei a causa com responsabilidade e comprometimento, pois precisaria preencher todos os quesitos para participar e seria uma corrida contra o tempo. Promovi, juntamente com minha gestão de prendas, as atividades culturais do “CTG Núcleo de Fortalecimento da Cultura Gaúcha” as atividades do “CTG e a Comunidade Escolar”, desenvolvidas nas escolas de Tapes e Sentinela do Sul, ainda na forma presencial, antes das restrições impostas pela pandemia.

Durante a pandemia participei de eventos online de várias entidades e regiões, bem como do MTG – RS e de outros Estados, além de manter minhas atividades escolares, minhas aulas de gaita ponto (online) e, em momentos permitidos, os ensaios da invernada artística de meu CTG. Também realizei e participei de projetos sociais, campanhas de arrecadação de agasalhos e alimentos, confecção e doação de brinquedos folclóricos e de máscaras reutilizáveis, as quais foram doadas às comunidades carentes da região.

Devido à pandemia, a tão sonhada “Ciranda de Ouro” não se realizará da forma tradicional, como sonhamos, mas com certeza, darei o máximo para representar dignamente minha entidade e Região, consciente de que não é uma faixa ou o número dela que define a tradicionalista que sou e o amor que tenho à nossa Cultura e Tradição. Agradeço a cada um que fez e faz parte de minha caminhada, me incentivando, me dando o exemplo e me auxiliando no que for preciso para manter acesa a chama de nossa Tradição.

Atualizada às 08h30min – 27/08