No dia 27 de agosto de 2020, foi realizada uma vistoria no Hospital Nossa Senhora Aparecida de Camaquã. A ação foi coordenada pela Promotora de Justiça com atribuição na área da Saúde Pública, Fabiane Rios, acompanhada pelo Oficial do Ministério Público, Odair Baraldi.

A diligência foi guiada pela Sra. Maria Eunice Ignácio da Silva, Assessora Administrativa, a qual também realizou um resumo a respeito das atividades e dos procedimentos desenvolvidos pelas equipes técnicas do hospital, visando o combate à pandemia de COVID-19.

Conforme o Plano de Capacidade Plena, desenvolvido pela equipe de gestão hospitalar, no momento da vistoria, a instituição estava atuando na cor verde, designada de “Rotina Diária”. Os níveis utilizados sofrem alteração conforme a quantidade de pacientes que estejam aguardando leito de internação no pronto-socorro. Dessa forma, os gatilhos pré-definidos que constam do plano são acionados, alterando a forma como as diversas equipes devem atuar. Esses níveis, cinco ao total, podem variar do menor, que é a “Rotina Diária”, até o nível máximo, designando de “Catástrofe”.

Na entrada da emergência do hospital, há uma primeira triagem, na qual os pacientes com sintomas respiratórios, tais como tosse, febre, dor de garganta, coriza e falta de ar, recebem os primeiros atendimentos, de forma que não venham a ter contato com outras pessoas que, porventura, busquem atendimento no local.

Todas as áreas vistoriadas estavam devidamente sinalizadas, com diversos pontos para higienização, com disponibilidade de álcool gel.

Segundo informações da senhora Maria Eunice, o Hospital possui 497 funcionários no total, tendo sido 312 testados e 61 positivados.

Números de atendimentos mensais no Pronto-Socorro:

Atendimento PS:  2.932 (Janeiro), 2.625 (Fevereiro), 2.443 (Março), 1.653 (Abril),    1.663 (Maio), 1.694 (Junho); 1.356 (Julho), 1.368 (Agosto).

Casos de COVID-19

– 7 internações em leitos clínicos

– 5 internações em leitos de UTI

Data 01/09/2020

 

A Promotora de Justiça, nesta oportunidade, salientou a importância de que a população não deixe de procurar o hospital em busca de atendimento médico, por medo de uma possível contaminação, visto que o local segue os procedimentos designados pelas autoridades sanitárias para o correto isolamento dos pacientes suspeitos ou contaminados pela COVID-19.

Outro ponto importante destacado pela Promotora é que a população siga realizando a correta higienização das mãos, que utilize máscara nos locais públicos e que evite aglomerações, conforme já amplamente divulgado pelos meios de comunicação. Não obstante, os estabelecimentos comerciais devem respeitar o protocolo estabelecido pelos Decretos Estadual e Municipal, no tocante ao número de pessoas no local, distanciamento e higienização. Por fim, ressalta-se que novas operações de fiscalização poderão ser realizadas.

Fonte: Ascom Hospital Nossa Senhora Aparecida