Uma moradora de Camaquã procurou a polícia para registrar que recebeu uma mensagem via Whatsapp de oferecimento de crédito e entrou em contato  com um homem, via  aplicativo whatsapp, que dizia ser Gerente Financeiro e o qual oferecia empréstimo de R$ 2.000,00 (dois mil reais), do Banco Santander.

O suposto gerente financeiro disse que era responsável em fazer empréstimos para pessoas físicas e “negativadas”. A vítima, diante disto, forneceu nº da CI, CPF, o nº do Cartão conta Poupança e n.º de uma agência da Caixa Econômica Federal. O “gerente financeiro” disse que em 30 minutos iria ser aprovado o empréstimo. Passado os 30 minutos, o “Gerente Financeiro” solicitou que a vítima imprimisse o contrato do empréstimo que ele havia enviado pelo whatsapp. A vítima leu o contrato e imprimiu. Após assinar, a vítima enviou de volta o contrato para o dito gerente financeiro e recebeu um boleto no valor de R$ 200,00 para pagar, sendo que ele pediu para a vítima aguardar mais 30 minutos.

A camaquense perguntou quando deveria pagar a primeira parcela, e o “gerente” respondeu “Em 45 dias!”. Passado os 30minutos, a vítima constatou que o dinheiro do empréstimo não havia entrado na conta e questionou o gerente financeiro.

Por sua vez, o golpista respondeu que a transferência tinha sido feita, porém bloqueada. O criminoso apontou que havia enviado o comprovante do Banco no qual consta que o valor havia sido depositado. A vítima tentou fazer o pagamento do boleto de R$ 200,00 em uma casa lotérica, todavia não conseguiu fazer o pagamento em razão que o CNPJ no boleto não conferia.

Em contato novamente,  o golpista disse então que a mulher precisaria realizar um depósito de R$180,00 (cento e oitenta reais), pois faltou na documentação para liberar o crédito e, para isto, ele forneceu uma conta bancária de uma agência da Caixa Econômica Federal em favor de uma terceira pessoa (física). A vítima então depositou o valor de R$180,00 (cento e oitenta reais) na conta da mulher, conta de pessoa física, e o gerente financeiro disse que era só aguardar a liberação. Ocorre que, passado 24h, o gerente financeiro bloqueou o whatsapp da vítima e não atendeu mais à ligação.