Durante a terça-feira, 16 de junho, uma reunião virtual entre líderes partidários, especialistas em saúde e a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tratou do adiamento da data das eleições 2020 por conta da pandemia do coronavírus.

No encontro estavam dirigentes de diversos partidos, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso e o vice-presidente, Edson Fachin.

O consenso dos participantes foi pelo adiamento por uma data que varia entre os dias 15 de novembro e 20 de dezembro, porém a definição final caberá ao Congresso Nacional.

A grande maioria sugeriu que o pleito ocorra em primeiro turno no dia 15 de novembro e me segundo turno em 29 de novembro. A data, segundo seus defensores, garantiria o tempo necessário para os ajustes judiciais e para a realização de campanhas eleitorais.

O encontro também discutiu as medidas de prevenção para a promoção das campanhas eleitorais e para o dia da votação em proteção aos eleitores, incluindo o distanciamento nas filas, a possibilidade de mudança dos locais de votação para espaços mais amplos e abertos, ampliação dos horários de votação, horários exclusivos para grupos de riscos, entre outros que ainda serão definidos.

Após a reunião o senador Lasier Martins postou um vídeo nas redes sociais afirmando que ficou “resolvido” que as novas datas de 15 e 29 de novembro serão mantidas.

Confira o vídeo: