Com a definição de que as eleições deverão ocorrer em 15 de novembro os partidos políticos também começam a elencar quais serão os postulantes aos cargos eletivos que estarão em disputa no pleito municipal.

Algumas candidaturas já estão praticamente certas e só aguardam as validações nas convenções. Outras ainda são discutidas dentro das próprias agremiações partidárias e só serão conhecidas oficialmente depois das disputas internas. Este é o caso do MDB, em Chuvisca, que deverá levar pra convenção pelo menos dois pré-candidatos ao Executivo, de onde um será escolhido.

Um destes nomes é o servidor público municipal Marco Aurélio Felix da Silva, recentemente integrado ao partido e que pretende disputar sua primeira eleição. Para tanto o estreante conta com o apoio do ex-prefeito Nelino Wenske, um dos responsáveis pela sua filiação ao MDB.

Confira a entrevista com Marco Aurélio

Regional: Quem é Marco Aurélio?

Marco: Marco Aurélio Felix da Silva é um chuvisquense de 46 anos, nascido e criado na agricultura, filho de agricultor e caminhoneiro, exerceu atividade no plantio de tabaco até 2011. Bacharel em Administração, formação em Técnico Contábil, servidor público de carreira há quase 24 anos, desde 1997, ocupa o cargo de tesoureiro vinculado à secretaria municipal da Fazenda, onde durante este longo período já exerceu o cargo de secretário da Fazenda do governo MDB, em 2016, e no atual governo no início da gestão 2017.

Regional: Quais motivos o levaram a querer ser pré-candidato?

Marco: Sou pré-candidato a prefeito, para tentar colocar em prática meus anos de administração pública em uma nova gestão, com uma política pública mais transparente e voltada ao atendimento das necessidades da população. Também por incentivo e convite do senhor Nelino Venzke, ex-prefeito de Chuvisca e presidente de honra do MDB e de meu colega e secretário do diretório municipal do MDB Mauro Sérgio Rocha, para assistir uma palestra em 2019, ministrada pelo senador Pedro Simon.

Regional: O que o qualifica para essa disputa na convenção?

Marco: A experiência adquirida como técnico e a responsabilidade junto ao controle pelas finanças do município durante este longo tempo e também por ter ideias novas e técnicas dentro da gestão na administração pública.

Regional: Se fores aprovado em convecção qual o próximo passo dentro do MDB?

Marco: O próximo passo é concretizar e firmar alianças e colocar em prática as ações e estrutura de governo.

Regional: Como estão as negociações com o PSD e PSDB? Já está formada uma frente de oposição?

Marco: Estamos mantendo um diálogo promissor dentro de uma democracia pacífica, ouvindo todos os filiados e partidos. Em relação a frente de oposição, possuo outra visão, e sim a vontade de mudança e renovação na política em Chuvisca.

Regional: O MDB pretende ser cabeça de chapa?

Marco: Possui a intenção de ser, mas sempre buscando entendimento com um diálogo entre as lideranças e partidos de sua coligação.

Regional: Por que Chuvisca deve mudar de administração municipal?

Marco: O município de Chuvisca necessita de novos caminhos, ideias inovadoras, renovação de políticas públicas, conduzindo com transparência seus atos, dando com isso melhores opções e condições para todos seus munícipes.

Regional: Por que acredita que deva ser eleito?

Marco: Para realizar o bem comum e atender a população em sua totalidade com baixo custo e qualidade de vida.

Regional: O que seria prioridade em seu plano de governo?

Marco: Prioridade em meu plano de governo elenca todas as áreas, porque devemos trabalhar com responsabilidade dando muita atenção seja ela na saúde, educação, assistência social, assim como agricultura, obras e também o funcionalismo no que diz respeito a atualização e reestruturação do plano de carreira e outros. Mas dentro de um orçamento que condiz com a situação e a realidade do município, o qual, após a convenção será criado junto com o povo. Prioridade também será não apresentar somente a quantidade do que foi feito ou será, mas sim, qualidade nos serviços oferecidos e prestados à população.

Regional: Qual a viabilidade financeira para fazer as mudanças que pretende? (De onde sairão os recursos?)

Marco: Mudanças devem e são necessárias e serão feitas. Os recursos hoje que Chuvisca possui em um orçamento é apenas para manutenção, tendo que sempre se utilizar a viabilidade de cautela na execução do orçamento com seu gasto. Para investimentos deveremos buscar recursos através de nossos deputados com execução de planos de ação de acordo com a necessidade de cada localidade dentro da estrutura do município.

Regional: Qual será o maior desafio ao próximo gestor de Chuvisca?

Marco: O maior desafio será a crise financeira mundial que vem ocorrendo devido ao reflexo da pandemia e o desiquilíbrio financeiro dentro do orçamento municipal, sendo que o gasto é maior do que se arrecada e também vedações/impedimentos trazidas pela LC 173/2020 para contenção de gastos até 31/12/2021, que para receber o auxílio financeiro o município teve que aderir e deverá seguir as regras. Outro ponto será os passivos de precatórios do magistério. Este desafio se resume em se preocupar em que irá arrecadar para depois gastar com consciência e da melhor forma que traga benefícios e reflexos positivos para o município.

*Corrigida às 11h34min