As atividades da Expo Dom Feliciano foram abertas com o Fórum da Agricultura Familiar 2019, nesta sexta, 31 de maio, promovido pela Prefeitura e EMATER/ASCAR Dom Feliciano. Com o tema Sucessão Familiar na zona rural, o evento teve envolvimento e a participação ativa da juventude – alunos e alunas da Escola Catulino Pereira da Rosa e da EJR – Escola de Juventude Rural, projeto coordenado pela professora Sirlei Nunes, com o apoio da Secretaria de Educação. No encontro ficaram definidos cinco delegados que representarão o Município no Fórum Regional da Agricultura Familiar, que acontecerá em outubro, em Camaquã: Renato Stasinki, Beatriz Silva, Mara Nunes, Lorena Soares e Jonas Borowski.

Como resultado dos trabalhos em grupo, coordenados pela EMATER/ASCAR, foi apontada a necessidade de visibilidade da juventude nos espaços decisórios do rural (família, associações, cooperativas, sindicatos, etc.) e questões pontuais necessárias para a promoção da sucessão rural, como comunicação – internet e telefonia eficaz, boas estradas, segurança pública, alimentação saudável, inclusão produtiva – formação, geração de renda e assistência técnica, campanhas ambientais de conscientização – uso de agrotóxicos e contaminação das águas, esporte e lazer, entre outros desafios.

“Também foi apontado pela juventude o excesso de serviço braçal, revelando a necessidade de se contemplar não só atividades agrícolas – diversificação de produção, agricultura orgânica, mas também outras alternativas, como turismo rural”, considera o prefeito Clenio Boeira.

Palestrou sobre o tema – que é pauta em diversos países do mundo – o integrante da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa e deputado estadual, Zé Nunes (PT). Zé inicialmente parabenizou o prefeito Clenio pela iniciativa da Expo Dom Feliciano, e entre ouros aspectos, traçou panorama sobre o desenvolvimento da agricultura familiar no País no decorrer das décadas e o que considerou retrocessos nos governos Temer e Bolsonaro para a agricultura familiar. Zé Nunes alertou, por exemplo, para a necessidade de se continuar consolidando a ampliação dos princípios da Pedagogia da Alternância e da Educação do Campo em todos os níveis e modalidades de ensino – “processo voltado para a valorização do campo”, bem como garantir o acesso dos jovens rurais a elevação da escolaridade.

Sobre a inclusão produtiva, o deputado questionou: “Como a gente pode querer a sucessão rural, que o jovem escolha, se a gente não abre para discutir com ele?”, contextualizando um cenário em que frequentemente a juventude é submetida a relações de poder patriarcais inquestionáveis.

Mesa de abertura

Introduziram os debates e compuseram a mesa de abertura: deputado Zé Nunes, prefeito Clenio, coordenador da EMATER/Ascar em Dom Feliciano, Carlos Gonçalves, presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, Renato Stasinki, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Dom Feliciano, Ênio Maciejewski, representante do legislativo donfelicianense, Darlei Iaroszewski, e o Secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Marco Tyska.

Texto: Luciane Godinho/Ascom Pref. Mun. Dom Feliciano (Edição: Regional)| Fotos: Luciane Godinho