22.1 C
Cerro Grande do Sul
terça-feira, fevereiro 27, 2024

Horas extras e outras coisas mais

Por Claudinei Kubiaki – Presidente Simtapes

Como presidente do Sindicato dos Municipários de Tapes (Simtapes), com muita propriedade me dirijo ao povo tapense para dizer que direitos/deveres, bem como deveres/direitos, precisam caminhar juntos. E isso vale aos funcionários concursados ou amigos do prefeito, bem como aos secretários e vereadores.

Devemos a presteza do bom serviço aos nossos munícipes, pois são eles que pagam nossos salários, e não é porque indicou fulano ou ciclano, mas sim por que nosso salário está no imposto cobrado do consumidor em tudo que compra, produz, e por aí vai.

Pelo serviço que se presta à população, junto com a taxa de desemprego, não seria mais fácil e prático um salário maior e melhor, num turno de seis horas, direto e reto? Ou ainda que fosse nas oito horas, mas com um salário de respeito, onde o menor básico seria igual ao mínimo regional RS, e daí por diante? Salário bom, horário bom, e na folga poderia ter outro emprego, ou ainda fazer os seus deveres em casa sem custos extras.

Outra coisa, a Lei é bem clara: se você prestou concurso para zelador, mesmo que passe 40 anos trabalhando de chefe de gabinete, quando se aposentar, irá se aposentar como zelador, e ainda será cobrado o probatório nessa função. Isso é a regra hoje e duvido muito que alguém mude.

O Plano dos Professores é uma realidade que virou Lei também por força da Lei Federal. Dificilmente o TCE, DPM ou IGAM irão dizer que auxiliar pedagógico possa fazer parte, mesmo que por um adendo, ao Plano dos Professores, pois a Lei é bem clara. Agora, se os demais setores do nosso Plano Geral RJU, operários, zeladores, auxiliar de serviços gerais, auxiliar administrativo, administrativo, entre outros, se movimentassem junto com as auxiliares pedagógicas, acredito que teríamos aí um grande avanço para todos.

Os valores pagos em horas extras, muitas errôneas, mais a diferença para o salário mínimo, já estão no índice da folha. Logo, a diferença não é tão brutal assim. Mas claro, com isso vem a independência do servidor, pois a hora extra escraviza, só que na aposentadoria ou numa eventual licença-saúde, não vai nem a média das horas extras, quem dirá todas elas.

A conta não fechou ainda, então ao invés de CCs e secretários que não são do quadro, enxuga a máquina. Menos secretarias, por exemplo. Nosso vice-prefeito deveria fazer jus ao seu salário se ao menos ocupasse uma secretaria. Sei que é cargo eletivo protegido pela Lei, mas seria de melhor valia para o nosso município, já que toda vez que se pede reclassificação de salários, escuta-se que não pode por que a máquina não suportaria, mas em janeiro de 2022 mudaram junto aos vereadores os salários somente dos “amiguinhos”, daí pode? Faz-me rir…

Gente, um feliz e abençoado Dia do Servidor Público. Não desistam desse sonho, é ele que nos move.

PUBLICIDADE
Claudinei Medeiros Kubiak
Claudinei Medeiros Kubiak
Claudinei Medeiros Kubiaki – Sindicalista Presidente do Sindicato dos Municipários de Tapes [email protected]

RELACIONADAS