As temperaturas mais amenas dos últimos dias melhoram a engorda do gado de corte devido ao maior conforto térmico e pela diminuição de ectoparasitos, como moscas, que molestam os animais. De acordo com o Informativo Conjuntural produzido e divulgado, na quinta-feira (01/04), pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a fase produtiva nesse momento tem como foco a gestação das matrizes e engorda dos terneiros e terneiras nascidos no ano passado. Já as vacas vazias estão sendo comercializadas, adequando assim a lotação por hectare, necessária para o inverno.

O rebanho bovino segue em boas condições corporais, com ganho de peso na maior parte das categorias; mas devido ao final do ciclo das pastagens estivais, o ganho de peso é menos expressivo. Com a colheita da soja, estão sendo semeadas gramíneas para cobertura e adubação verde, especialmente espécies como aveias, que serão utilizadas pelos animais no sistema de integração lavoura-pecuária.

Em relação ao aspecto sanitário, segue o controle do carrapato bovino, cujo período de maior infestação está próximo. As vendas de animais permaneceram pontuais, e espera-se aumento no volume de negócios conforme avançar a colheita das lavouras de soja e arroz irrigado. Os preços continuaram aquecidos na venda de terneiros e animais para engorda no sistema de integração lavoura/pecuária, e a expectativa é que atinjam valores ainda mais altos após a finalização das safras de grãos.

BOVINOCULTURA DE LEITE

O ciclo das pastagens anuais de verão está finalizando, e as de inverno ou recém-implantadas ou ainda não foram semeadas. As chuvas auxiliaram na manutenção das pastagens perenes de verão, ainda muito utilizadas em diversas regiões, mas mesmo assim é observada a queda de produção de leite. Com a redução na oferta de pastagens, os produtores direcionaram as melhores opções de alimento para as matrizes em lactação. Assim, as fêmeas jovens e vacas vazias permaneceram em áreas de campo nativo ou nas pastagens de qualidade inferior.

Este período é destinado à implantação do planejamento forrageiro de inverno, ao preparo da sobressemeadura das áreas com espécies perenes e ao cultivo no período normal das forrageiras de inverno. As temperaturas mais amenas melhoram o conforto térmico dos animais durante o pastejo e auxiliam na redução da presença de ectoparasitos. Os produtores aproveitam a época para vacinações preventivas e obrigatórias. As chuvas provocaram acúmulo de barro nas proximidades dos locais de ordenha, o que demandou aumento da atenção para evitar contaminação do leite.

GRÃOS DE VERÃO

As culturas de verão apresentam bom desenvolvimento, beneficiadas pelo clima favorável, com umidade e calor. A maturação das lavouras foi favorecida pela umidade, no entanto, tal condição reduziu e mesmo suspendeu os trabalhos de colheita da soja, que já atingiu 27% da área total cultivada. Outros 39% estão em fase de maturação, 31% em enchimento de grãos e apenas 3% ainda em floração.

As chuvas da última semana beneficiaram novamente as lavouras de milho. A colheita atingiu 70% da área implantada com a cultura. Áreas colhidas mais ao Sul do Estado apresentam boas produtividades. Outros 14% estão fase de maturação, 12% em enchimento de grãos e 4% em floração.

Na maioria das regiões rizícolas, a produtividade dessa safra será maior que a estimada inicialmente. O grão colhido é de boa qualidade, e a colheita chegou a 57% da área, mesmo com alguns dias de chuva que paralisaram a atividade. Outros 39% estão em fase de maturação e 4% em enchimento de grãos.